A Revolução Digital e o Cidadão Comum

Por Alexandre Del Rey

Muitas pessoas não se dão conta do momento especial que estamos vivendo. Também, pudera, tantas novidades acontecendo a velocidade da luz que é difícil pararmos para pensar sobre o que está acontecendo a nossa volta. Especialmente com tantos estímulos, informações, e nossa capacidade de prestar atenção sendo dizimada para quase nada.

VOCÊ ESTÁ VIVENDO A GRANDE OPORTUNIDADE DE MUDAR A SUA VIDA!

Você pode ser o próximo Thomas Edson, Bill Gates, Steve Jobs, Eslon Musk... Você está vendo de camarote uma das mais importantes revoluções no mundo dos negócios acontecendo bem diante do seu nariz.

Revoluções do tipo que estamos vivendo, causadas por inovações radicais e disruptivas, já dizia o economista austríaco, Joseph Schumpeter, criam uma onda de destruição “criativa” que é ao mesmo tempo um momento de grande oportunidade.

Em período muito pequeno de tempo, as vantagens competitivas das grandes corporações podem ser reduzidas ao pó, ao mesmo tempo que pequenas empresas, que chamamos hoje de startups, podem ser conduzidas ao estrelato e ao clube do bilhão num piscar de olhos. Para isso basta que pessoas como você, um cidadão comum, consiga enxergar onde todas estas tecnologias habilitadoras que estão surgindo podem ser utilizadas para gerar valor para a sociedade, juntar-se com um grupo de outras pessoas capazes e empreender.  

Foi assim com Thomas Edson e a eletricidade, Bill Gates  e Steve Jobs com o advento do computador pessoal, Eslon Musk com a internet e o seu pay-pall. Pessoas que percebem oportunidades antes que as outras e partem para a ação. E também foi assim com a Kodak, a Olivetti, a Xerox, gigantes que viram suas vantagem competitivas em seus mercados serem exterminadas em questão de poucos anos.

Você está vivendo este momento único com tecnologias disruptivas como a Inteligência Artificial, que mudam as regras do jogo, que criam oportunidades antes inimagináveis para o mundo dos negócios.  Para surfar esta onda, você precisa apenas ter uma prancha e aprender o que fazer com ela: surfar!

A I2AI - International Association of Artificial Intelligence no Brasil tem este objetivo, ajuda-lo a pegar esta onda. Para pegar a onda da Inteligência artificial você não precisa ser um programador, ou conhecer de código, como da mesma forma, para surfar, você não precisa saber construir pranchas. Você precisa sim entender os princípios de funcionamento de cada uma das tecnologias relacionadas a inteligência artificial e como conseguir extrair bons novos modelos de negócios, produtos e serviços utilizando estes mecanismos. Como um surfista, você precisa entender de pegar um “tubo”, fazer um floater ou um aéreo, e como esta mistura de elementos pode fazer com que você tire o melhor da sua onda. Se você quer pegar a onda do século, conte com a gente: queremos fazer você surfar !

0 visualização
LINKS
CONTATO

contato@i2ai.com.br

Avenida Angélica, 2118. CJ 94
01228-200

São Paulo - SP 

SIGA A I2AI
  • Facebook ícone social
  • LinkedIn ícone social
  • YouTube

© 2020 - I2AI - International Association of Artificial Intelligence

contato@i2ai.com.br
Avenida Angélica, 2118. CJ 94. CEP 01228-200 - São Paulo - SP

CNPJ: 33.270.289/0001-18

Termos e Condições
A associação em todos os seus modelos é renovada a cada doze meses.  A pessoa física ou jurídica receberá a confirmação da sua associação em 24 horas úteis.

Política de Privacidade
Seus dados serão utilizados para o envio de comunicados e ofertas personalizadas da I2AI.

Política de Reembolso
Em caso de associação através da plataforma de pagamentos deste site, o Associado poderá desistir deste instrumento no prazo de 15 (quinze) dias a contar da data de adesão do Associado a I2AI Brasil. Caso esse direito de arrependimento seja exercido pelo Associado, os valores eventualmente pagos, a qualquer título, durante o prazo de reflexão, serão devolvidos integralmente em até 7 dias úteis da solicitação.​​

O pedido de reembolso pode ser feito diretamente ao e-mail contato@i2ai.com.br contendo os dados utilizados no momento da associação.